TRANSFERÊNCIA TECNOLÓGICA NA UFMG: A IMPORTANTE PARTICIPAÇÃO DE PESQUISADORES DA REDE NANOBIOMG

0

PARTICIPAÇÃO DE PESQUISADORES DA REDE NANOBIOMG NA TRANSFERÊNCIA TECNOLÓGICA REALIZADA PELA UFMG

O processo de transferência de tecnologia ao setor produtivo, pela UFMG, é relativamente recente. A instituição ocupa o segundo lugar, entre as universidades brasileiras, em pedidos de registro de patentes e apresenta um número expressivo de transferência de tecnologia. Pesquisadores da Rede Nanobiomg estiveram presentes ativamente nessa trajetória.

No final de 2003 foi assinado o primeiro contrato de transferência tecnológica entre a UFMG e uma indústria. A Instituição associou-se ao Laboratório Biolab-Sanus para a produção de um anti-hipertensivo. A pesquisa foi desenvolvida pelo Coordenador da Rede Nanobiomg Dr. Frédéric Jean Georges Frézard e pelos pesquisadores Dr. Robson Augusto Souza Santos, Dr. Rubén Dario Sinisterra Millan e Dr. Washington Xavier de Paula. 

A Vice-coordenadora da Rede Nanobiomg, Dra. Mônica Cristina de Oliveira, também desempenhou importante papel na aproximação da universidade com a indústria. Ela dedicou-se à pesquisa de lipossomas pH-sensíveis contendo cisplatina para a terapia do câncer. Em 2006 associou-se ao Biocancer Clinical Research. Essa empresa atua em todas as fases de desenvolvimento de novos fármacos e possui um acordo com o Hospital das Clínicas da UFMG. No link: “Uso de lipossomas pode aumentar eficácia do tratamento do câncer”, estão presentes outras informações sobre o trabalho da Dra. Mônica Cristina de Oliveira.

O link: “Patentes: do laboratório à linha de produção”, contém informações sobre a trajetória da transferência tecnológica na UFMG. A reportagem, de divulgação do simpósio organizado pela rede Nanobiomg, em novembro de 2013, também apresenta algumas considerações dos integrantes da rede, sobre o assunto: “Para acelerar a entrega”.

Mônica

Dra. Mônica Cristina de Oliveira, pesquisadora da Rede NANOBIOMG.

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixar uma resposta