Biobanco x Desenvolvimento Científico

0

Banco de Tumores e Tecidos

IMPORTÂNCIA DE UM BIOBANCO PARA O DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E PARA A NANOBIOTECNOLOGIA

A incidência de câncer no Brasil e no mundo são preocupantes. Segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, órgão ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se um aumento na incidência da doença de 75% até 2030. Segundo a estimativa realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), haverá cerca de 580 mil novos casos de câncer no Brasil em 2014.

As estimativas somadas aos avanços tecnológicos e científicos de alto impacto na área da saúde, bem como os avanços da nanociência que somente foram possíveis em decorrência da estreita interação entre setores da ciência básica e aplicada, geraram uma necessidade paralela de material biológico humano de alta qualidade e viabilidade para estudo.

A catalogação e gerenciamento destas amostras constituídas em biobancos, definido pela Resolução nº441/11 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) como “coleção organizada de material biológico humano e informações associadas, coletado e armazenado para fins de pesquisa, conforme regulamento ou normas técnicas, éticas e operacionais (…)” fomentam uma rede de pesquisas interdisciplinares para o estudo de diversas doenças.

É preciso reconhecer a importância de um biobanco para o avanço da ciência e para o desenvolvimento da medicina personalizada, pois a possibilidade do resgate de amostras biológicas para pesquisas de desenvolvimento científico e de inovação biotecnológica, tem um grande impacto no âmbito da saúde.

Os tecidos incorporados são uma importante ferramenta para subsidiar estudos futuros que contribuam para uma melhor compreensão sobre as causas, diagnóstico, tratamento e novos alvos terapêuticos, prevenção e prognóstico de pacientes portadores de doenças neoplásicas e outras patologias inflamatórias, infecciosas e parasitárias.

O Banco de Tumores e Tecidos possibilitará a realização de ensaios pré-clínicos para avaliar toxicidade, interação, antigenicidade, especificidade, e vários outros parâmetros de produtos e pesquisa no âmbito da nanobiotecnologia e demais áreas de pesquisa. O uso de diferentes nanobiosistemas nestas áreas poderão contribuir na redução de toxicidade de fármacos antineoplásicos e antiparasitários, maior seletividade farmacológica, detecção precoce de processos neoplásicos/inflamatórios/infecciosos, melhoria da biodisponibilidade e aumento da estabilidade dos fármacos.

 

 

 

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixar uma resposta