Encapsulation of cisplatin in long-circulating and pH-sensitive liposomes improves its antitumor effect and reduces acute toxicity.

0

Elaine Leite, Cristina Souza, Álvaro Carvalho-Júnior, Luiz Coelho, Ângela Lana, Geovanni Cassali, Mônica Oliveira.

International Journal of Nanomedicine, 2012


Cisplatina é um potente e efetivo antitumoral usado no combate aos tumores sólidos. Entretanto, seus efeitos adversos e sua tendência a quimioresistência são limitantes de seu uso. Para evitar estes inconvenientes, lipossomas pH sensíveis de longa circulação contendo cisplatina (SpHL-CDDP) foram desenvolvidos previamente por este grupo. Assim, o presente estudo visa avaliar a atividade antitumoral e a toxicidade dos SpHL-CDDP, comparado com cisplatina livre e lipossomas não pH- sensíveis de circulação prolongada (NSpHL-CDDP) em tumor sólido de Ehrlich. A atividade antitumoral foi avaliada pela análise do volume tumoral, taxa de inibição do crescimento, VEGF e estudos histomorfométricos e imunoistoquímicos. Como indicadores de toxicidade, foram avaliados o peso corporal e análise histológica da medula e dos rins. No tratamento com SpHL-CDDP, foi observado uma redução significativa do volume tumoral e taxa maior de inibição do crescimento tumoral quando comparada ao cisplatina livre e NSpHL-CDDP. Além disso foi observado também, após a administração de SpHL-CDDP, uma redução na área de necrose, na porcentagem de células positivas para CDC47 e nos níveis de VEGF. Nos animais tratados com SpHL-CDDP administrado em doses duas vezes maiores que na cisplatina livre, houve perda de peso e alterações hematopoéticas. Não houve alterações renais. Assim, os resultados mostram que SpHL-CDDP permite a administração de maiores doses de cisplatina, aumentando a eficácia antitumoral.

 

Figura Artigo Elaine jpeg 2Figura Artigo Elaine jpeg

Compartilhar.

Sobre o autor

Deixar uma resposta